Lixo Orgânico e Não Orgânico

Na concepção técnica o lixo deve ser visto e analisado sob o ponto de vista biológico, assim lixo orgânico é todo lixo que tem origem animal ou vegetal, ou seja, que recentemente fez parte de um ser vivo. Neles podem-se incluir restos de alimentos, folhas, sementes, restos de carne e ossos, papéis, madeira, etc.
Mesmo na atualidade esse tipo de lixo é considerado poluente e, quando acumulado, o lixo orgânico pode se tornar mal-cheiroso devido à decomposição destes produtos criando um ambiente propício ao desenvolvimento de microorganismos que podem causar doenças. O principal componente do lixo orgânico é o lixo humano, composto pelos resíduos produzidos pelo corpo humano como fezes e urina. O lixo humano pode ser altamente perigoso, já que pode abrigar e transmitir com facilidade uma grande variedade de vermes, bactérias, fungos e vírus causadores de doenças. Uma conquista da civilização humana é a redução de doenças transmitidas através do lixo orgânico, graças à higiene e o saneamento básico. O lixo orgânico pode ser selecionado e usado como adubo (com a compostagem) ou utilizado para a produção de certos combustíveis como biogás, que é rico em metano (com a biogasificação).
Lixo inorgânico inclui todo material que não possui origem biológica, ou que foi produzida através de meios humanos, como plásticos, metais e ligas, vidro, etc. Considerando a conformação da natureza, os materiais inorgânicos são representados pelos minerais.
Muito do lixo inorgânico possui um grande problema: quando jogado diretamente no meio ambiente, sem tratamento prévio, demora muito tempo para ser decomposto. O plástico por exemplo, é constituído por uma complexa estrutura de moléculas fortemente ligadas entre si, o que torna difícil a sua degradação e posterior digestão por agentes decompositores (primariamente bactérias). Para solucionar este problema, diversos produtos inorgânicos são biodegradáveis.
Lixo tóxicos inclui pilhas e baterias, que contém ácidos e metais pesados em sua composição, certos tipos de tinta (como as usadas em impressoras), além de dejetos industriais. Lixo tóxico precisa receber tratamento adequado, ou pode causar sérios danos ambientais e/ou à saúde das pessoas.
Lixo altamente tóxico, lixo nuclear e hospitalar entram neste quesito. Estes produtos precisam receber tratamento especial, ou podem causar sérios danos ambientais e/ou à saúde. Lixo altamente tóxico deve ser isolado, enquanto lixo hospitalar deve ser incinerado.
Resíduo doméstico é o formado pelos resíduos sólidos produzidos pelas atividades residenciais e apresenta em torno de 60% de composição orgânica e o restante formado por embalagens plásticas, latas, vidros, papéis, etc.

Resíduo sólido urbano inclui o resíduo doméstico assim como o resíduo produzido em instalações públicas (parques etc.), em instalações comerciais, bem como restos de construções e demolições.

Resíduo industrial é gerado pelas indústrias, e é altamente destrutivo ao meio ambiente ou à saúde humana.
Resíduo hospitalar é a classificação dada à produtos sem valor e considerados perigosos, produzidos dentro de um hospital, como seringas usadas, aventais, etc. Por serem perigosos, podendo conter agentes causadores de doenças, este tipo de lixo é separado do restante produzido dentro do hospital (restos de comida, etc), e é geralmente incinerado. Porém, certos materiais hospitalares, como aventais que mantiveram constante contato com raios eletromagnéticos de alta energia como raios X, são categorizados de forma diferente (nesse caso, o avental é considerado lixo nuclear), e recebem tratamento diferente.
Lixo nuclear composto por produtos altamente radioativos, como restos de combustível nuclear, produtos hospitalares que tiveram contato com radioatividade (aventais, papéis, etc), enfim, qualquer material que teve exposição prolongada à radioatividade e que possui algum grau de radioatividade. Devido ao fato de que tais materiais continuarem a emitir radioatividade por longos períodos de tempo, eles precisam ser totalmente confinados e isolados do resto do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário